Fotos perturbadoras de como é a vida das mulheres dentro de um bordel em Bangladesh


As vezes elas não são aceitas de volta pela sociedade é optam por continuar nessa vida. Confira:

Em um dos países mais pobres do mundo, funciona um bordel completamente legalizado.

Bangladesh é o lar do bordel mais antigo do país, o Kandapara e ele existe a mais de 200 anos no distrito de Tagail. 

No ano de 2014 o local foi demolido, mas por consta das 700 mulheres que viviam e trabalhavam no local, precisou ser reconstruído pois elas não tinham para onde ir.

Mesmo que a prostituição seja legalizada, elas não tem os mesmos direitos que os demais cidadãos. E Frequentemente sofrem por causa da falta de liberdade e de direitos básicos.

A grande maioria delas é vitima de tráfico sexual, e acaba não podendo nem sequer sair do bordel, além de não poder guardar o próprio dinheiro, para mais tarde comprar sua liberdade. 

As que crescem lá, nos primeiros anos, trabalham de graça para pagar a “dívida” gerada por sua estadia. Normalmente dentro de 5 anos elas conseguem pagar essa dívida e se tornar profissional independente, até podem abandonar o local se desejarem.

Mas, apesar da “liberdade”, muitas dessas profissionais acabam não sendo mais bem vindas de volta para suas famílias ou população e optam por permanecer no local.

Por mais que as prostitutas precisem ter 18 anos, a grande maioria é menor de idade e ganham um valor entre mil a dois mil Taka, que é mais ou menos 41 a 82 reais por dia. E ainda o valor depende muito da beleza da mulher e a qualidade do quarto.  

Sandra Hoyn fotojornalista documentou o cotidiano do bordel e comenta que o local é quase uma outra cidade, com suas próprias regras. O material de Sandra gerou um projeto com o nome “The Longing of Others” que em tradução livre seria “Os desejos dos outros”. E esse projeto trás imagens bem perturbadoras sobra a vida das mulheres.

Confira mais fotos:

 


Gostou? então deixe seu like!

log in

Become a part of our community!

reset password

Back to
log in